Seis municípios que adotam Projeto Matematicando conseguem avanços significativos no IDEB e na proficiência em Matemática. Criado por empresa paraense parceira do Google, projeto envolve o uso de livro e de aplicativo que ensinam Matemática de forma mais rápida e divertida. 

 Um projeto para melhorar a aprendizagem da matemática, desenvolvido por engenheiros, profissionais de Tecnologia da Informação e professores, vem fazendo a diferença para alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental de seis municípios do Estado do Pará. 

  As cidades de Senador Porfírio, Altamira, Castanhal, Ananindeua, Marituba e Vitória do Xingu, que nos últimos anos adotaram o Projeto Matematicando, obtiveram crescimento tanto no IDEB – índice de Desenvolvimento da Educação Básica - quando na proficiência em Matemática. 

 Em Senador Porfírio, o IDEB saltou de 3,4 em 2013 para 4,0 em 2015, um crescimento de 18%. Já em Altamira, o índice foi de 4,5 em 2013 para 5,2 em 2015, um crescimento de 16%, superando a meta de 4,7 estabelecida para 2015. Castanhal também superou a meta de 4,5 estipulada para 2015 – o IDEB passou de 4,0 em 2013 para 4,6 em 2015, um crescimento de 15%.  

 Os municípios de Ananindeua e Marituba registraram um crescimento de 13% no IDEB entre 2013 e 2015 – o primeiro alcançou 4,5 em 2013 e 5,1 em 2015, e o segundo, 3,8 em 2013 e 4,3 em 2015. Por sua vez, Vitória do Xingu – com4,6 em 2013 e 4,8 em 2015 – ultrapassou com folga a meta esperada em 2015, que era 3,7. No Pará, o IDEB do 5º ano do Ensino Fundamental em 2015, na rede estadual, foi 4,2, e em todo o país, 5,5. 

 Proficiência em Matemática no 5º ano – A proficiência (ou nível de conhecimento) em Matemática, medida pela aplicação de dois em dois anos da Prova Brasil, é um dos itens que influenciam a nota do IDEB, assim como os resultados em Língua Portuguesa e os índices de aprovação e de evasão de alunos. 

Nos seis municípios adotantes do Projeto Matematicando, a proficiência em Matemática aumentou, o que significa que os alunos tiveram um desempenho melhor na disciplina na Prova Brasil aplicada em 2015.  

 Castanhal pontuou 184,19 em 2013 e 200,10 em 2015, uma variação positiva de 8,64%; Marituba, 174,48 em 2013 e 188,79 em 2015, uma variação de 8,20%; Altamira, 193,69 em 2013 e 209,00 em 2015, uma variação de 7,90%; Vitória do Xingu, 191,52 em 2013 e 204,92 em 2015, uma variação de 7,00%; Senador Porfírio, 192,76 em 2013 e 200,99 em 2015, uma variação de 4,27%; e Ananindeua, 194,13 em 2013 e 199,77 em 2015, uma variação de 2,91%.

 Segundo o engenheiro especialista em TI Walter Oliveira, autor do aplicativo que faz parte do Projeto Matematicando, a posição no ranking paraense do IDEB de todos os municípios adotantes do programa subiu. “Marituba, Castanhal e Senador José Porfírio subiram 12, 11 e 10 posições respectivamente. Já Altamira e Ananindeua subiram 4 e 2 posições”, diz. 

Oliveira também chama a atenção para o fato de que dentre os 25 municípios do Pará com maior proficiência em matemática no 5º ano, cinco trabalham com o Projeto Matematicando - Altamira, Vitoria do Xingu, Senador José Porfírio, Castanhal e Ananindeua. “No ranking paraense de proficiência em Matemática, Marituba subiu 39 posições, Ananindeua 10, Castanhal 8 e Altamira 3”, complementa.

 Matematicando – Cerca de 70 mil alunos e 7 mil professores de 11 municípios das regiões Norte e Nordeste já foram ou estão sendo beneficiados pelo projeto Matematicando, desenvolvido pela empresa paraense Inteceleri. “Nosso principal desafio é usar a tecnologia como aliada no enfrentamento de problemas educacionais, em especial na área de Matemática”, diz Oliveira.

 As escola que adotam o Projeto Matematicando recebem um pacote formado pelo livro “Aprendendo e Brincando Tabuada Colorida”, um jogo físico com dados coloridos e um aplicativo que roda tanto em computadores normais quanto em dispositivos móveis como tablets e smartphones. “O objetivo é fazer com que as crianças do Ensino Fundamental I aprendam as operações básicas de Matemática de forma interessante e divertida”, explica Oliveira. 

 A implementação do projeto também envolve treinamento dos professores e realização do Torneio Matematicando em três fases: SimuladoDesafio de Cálculo Mental e Aplicativo utilizando dispositivos. “São oferecidas premiações para alunos e professores como forma de incentivar a participação e melhorar os resultados”, diz Walter.  

Nas escolas  que adotam o Matematicando, são realizados, ainda, treinamentos de professores e gestores para implantação do Google for Education, plataforma criada pela gigante de tecnologia e inovação norte-americana. “Devido à criação do projeto Matematicando, fomos convidados pelo Google para sermos seus parceiros oficiais na divulgação e implantação de sua plataforma educacional nos estados da Região Norte. Ferramentas adequadas à nova cultura comunicacional dos jovens nas mãos de professores treinados e motivados podem ser vitais para o salto que precisamos dar na educação básica”, conclui o sócio-diretor da Inteceleri. 

 

Comment

Google+